Flanando em Friburgo

Você sabe o que é flanar? Segundo os dicionários, é mesmo que “caminhar sem rumo e sem pressa, só pelo prazer de apreciar o que está à sua volta, parando aqui e ali para observar algo que chamou sua atenção”.

As três melhores cidades que conheci para flanar foram Barcelona, Paris e Buenos Aires. Todas são planas, bem sinalizadas e seguras, praticamente um museu ao ar livre onde cada rua, esquina, prédio ou parque tem alguma história. Para quem vem do Rio de Janeiro, sentar tranquilamente em uma praça bem cuidada e sem grades, chega a ser um sonho bom.

O bom flanador não tem horários. Segue pelas ruas sem uma rota definida, parando em cada ponto que lhe desperte interesse, por mais comum que pareça. Descobrir novos bairros, vilas e ruas diferentes, olhar vitrines de lojinhas simplesmente interessantes, atravessar de ponta a ponta um shopping center, trocar dois dedos de prosa no mercado municipal ou em uma feira livre, sentar em um café para simplesmente assistir a vida passar, tudo isso é flanar.

E em Nova Friburgo, flanar é possível?

Claro, desde que você se lembre que a cidade foi construída em cima de morros e muitos passeios interessantes incluem ladeiras enormes. Portanto, é necessário ter fôlego, mas em compensação, a natureza com certeza será muito generosa.

O Parque São Clemente, por exemplo, além de bonito, oferece um bônus raro hoje em dia: silêncio! As ruas do Cônego, algumas com calçadas cuidadosamente gramadas dão a impressão de que o tempo não anda. O Parque Santa Elisa e seus caminhos por dentro da mata, as alamedas da Praça Getúlio Vargas, as ruas agitadas e comerciais de Olaria e, porque não, todo o Centro da cidade.

Vá até Mury pelo leito da antiga estrada de ferro e almoce em um dos ótimos restaurantes de lá. Faça uma aventura e vá a pé ou de bicicleta até Amparo para conhecer seus casarões e sua história. Dê um pulo a São Pedro da Serra e Lumiar e curta a sua maneira despretensiosa e tranquila de viver. Sim meus amigos, Nova Friburgo decididamente é um bom lugar para flanar.

O historiador e professor francês Laurent Turcot dizia que “caminhar provoca o espírito, estimula a inteligência e, por fim, acaba definindo a própria cidade.” Porque você não começa a flanar já neste final de semana?

 

palavraearte

Publicada na coletânea “Palavra é Arte”, Cultura Editorial, 48ª Edição, 2013

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s