Flanando em Friburgo

Você sabe o que é flanar? Segundo os dicionários, é mesmo que “caminhar sem rumo e sem pressa, só pelo prazer de apreciar o que está à sua volta, parando aqui e ali para observar algo que chamou sua atenção”.

As três melhores cidades que conheci para flanar foram Barcelona, Paris e Buenos Aires. Todas são planas, bem sinalizadas e seguras, praticamente um museu ao ar livre onde cada rua, esquina, prédio ou parque tem alguma história. Para quem vem do Rio de Janeiro, sentar tranquilamente em uma praça bem cuidada e sem grades, chega a ser um sonho bom.

O bom flanador não tem horários. Segue pelas ruas sem uma rota definida, parando em cada ponto que lhe desperte interesse, por mais comum que pareça. Descobrir novos bairros, vilas e ruas diferentes, olhar vitrines de lojinhas simplesmente interessantes, atravessar de ponta a ponta um shopping center, trocar dois dedos de prosa no mercado municipal ou em uma feira livre, sentar em um café para simplesmente assistir a vida passar, tudo isso é flanar.

E em Nova Friburgo, flanar é possível?

Claro, desde que você se lembre que a cidade foi construída em cima de morros e muitos passeios interessantes incluem ladeiras enormes. Portanto, é necessário ter fôlego, mas em compensação, a natureza com certeza será muito generosa.

O Parque São Clemente, por exemplo, além de bonito, oferece um bônus raro hoje em dia: silêncio! As ruas do Cônego, algumas com calçadas cuidadosamente gramadas dão a impressão de que o tempo não anda. O Parque Santa Elisa e seus caminhos por dentro da mata, as alamedas da Praça Getúlio Vargas, as ruas agitadas e comerciais de Olaria e, porque não, todo o Centro da cidade.

Vá até Mury pelo leito da antiga estrada de ferro e almoce em um dos ótimos restaurantes de lá. Faça uma aventura e vá a pé ou de bicicleta até Amparo para conhecer seus casarões e sua história. Dê um pulo a São Pedro da Serra e Lumiar e curta a sua maneira despretensiosa e tranquila de viver. Sim meus amigos, Nova Friburgo decididamente é um bom lugar para flanar.

O historiador e professor francês Laurent Turcot dizia que “caminhar provoca o espírito, estimula a inteligência e, por fim, acaba definindo a própria cidade.” Porque você não começa a flanar já neste final de semana?

 

palavraearte

Publicada na coletânea “Palavra é Arte”, Cultura Editorial, 48ª Edição, 2013

Publicado por Carlos Emerson Jr.

Apenas um escritor (e fotógrafo).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: