O sonhador

Era um sonhador incorrigível. Desde a infância. Aprendia com facilidade, o problema era conseguir se concentrar nas fórmulas matemáticas e regras ortográficas. Adorava História mas sua cabeça viajava tanto que acabava perdido em épocas e personagens distantes. Pais e professores preocupavam-se. Potencial ele tinha, desde que não divagasse.

Em pouco tempo ele já havia sido mercenário em Angola, baixista de um grupo de rock, astronauta de uma das missões Gemini, piloto de corridas, inventor da máquina de movimento perpétuo, descobridor da cura do câncer, escritor maldito, ator de Hollywood, compositor da MPB, pianista clássico, motorista de caminhão e, principalmente, amante de todas as mulheres do mundo!

Espião com licença para matar, jornalista investigativo, explorador profissional, descobridor de uma nova espécie de mamíferos na Ásia, médico voluntário no Sudão, pintor de arte moderna, maquinista de trem (bala, de preferência), jogador de futebol, imediato de destróier, veterano condecorado da segunda guerra mundial e sedutor irresistível de todas as mulheres do mundo!

Não tinha jeito, a cabeça vivia no mundo da lua, apesar de, em seus sonhos, já ter andado na superfície do nosso satélite. Como a vida real não tem nada a ver com isso, viu-se obrigado a sonhar menos e viver mais, pelo menos era isso que esperavam dele. E sabendo que sonhar não tira fome, foi estudar, trabalhar e casar, exatamente nessa ordem.

Mas uma vez sonhador, sempre sonhador! Percebeu que esse era a sua sina e fazia planos cada vez mais mirabolantes como ter seis filhos e adotar outros seis, construir uma casa completamente sustentável na Amazônia, dar a volta ao mundo com a mulher e os doze filhos em um barco projetado e construído por ele mesmo, apresentar uma irrecusável proposta de paz para israelenses e palestinos, ganhar o Nobel da Paz e ser indicado, por aclamação de todas as nações, Presidente do Planeta Terra!

O que seria do nosso mundo sem sonhadores?

Dedicado a Billy Liar

6 comentários em “O sonhador

  1. Emerson sou até suspeita para falar dos sonhadores pois sou um deles. Desde pequena sempre tive minha mente dominada por tantos sonhos, por peripécias etc. Acabei tendo de encarar a realidade mas me refugiei na escrita e na leitura. Quer coisa melhor? Adorei seu texto!

    Curtir

    1. Falando por mim, talvez tenha uma explicação: nasci em 1950. A Segunda Guerra mal tinha terminado e logo, logo começavam outras duas, a da Coreia e a Fria. Era muito fácil um garoto se encantar com uniformes, histórias de heroismo e bravura… Ainda bem que isso passa! Bom, pelo menos para a maioria. rsrsrs Um abração.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s