Nossos muros

Em agosto de 1961 eu tinha dez anos. O muro de Berlim acabara de ser “inaugurado”, mísseis nucleares estavam sendo instalados na Turquia, Alemanha Ocidental e Itália, submarinos armados com bombas de hidrogênio navegam pelas costas das grandes potências. A chamada “guerra fria” entrava em seu auge. Mesmo aqui no Brasil, longe de tudo, havia muita apreensão. Sabiamos que uma nova guerra seria definitiva, sem vencedores, sem sobreviventes, sem futuro.

Em 1989 o muro caiu e novos tempos se anunciaram. Infelizmente, para que não temos mesmo jeito e novos muros foram e continuam sendo erguidos, separando – em nome de segurança, ideologia, religião, cor, gênero, educação, classe social e sei lá mais o quê – os sete bilhões de humanos que povoam esse planetinha frágil e mal-tratado. Ironicamente, só conseguimos nos unir e mostrar solidariedade com nossos semelhantes quando diante de uma tragédia, natural ou não. Mas, passado o perigo, logo voltamos para a segurança de nossos muros.

Uma pena.

4 comentários em “Nossos muros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s