Nua

A mulher, nua, saiu à rua.
Estupefato, o guarda preceitua:
– dona, não tumultua,
na rua não pode andar nua!

O poeta vendo a cena, murmura:
– Meu Deus, nua, na rua,
que linda, até mesmo a Lua
diante dela, se insinua.

O caminhante para, olha e continua:
– será uma atriz que atua
completamente nua, na rua?

A mulher, indiferente, não recua.
Continua na rua, nua,
só, na sua.

Publicado por Carlos Emerson Junior

Sou carioca, escritor, fotógrafo nas horas vagas, casado. Moro em Nova Friburgo, na Serra Fluminense.

Se junte à conversa

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: