Os mortos não cantam

Estava duro dormir! Virou uma, duas, três vezes na cama. Tirou o cobertor, sentiu frio, puxou o cobertor. O culpado era o samba. Amaldiçoou o infeliz que resolveu transformar o botequim infecto que existia desde sempre no prédio da frente em um, putaquepariu, barzinho temático. Agora vivia cheio, fazendo barulho, muito barulho, gente cantando e … Continue lendo Os mortos não cantam