De volta para a estrada do contorno

Ano eleitoral é uma farra, não tem jeito… Pela enésima vez o governo do estado anuncia a construção da Rodovia do Cimento, perdão, Estrada do Contorno de Nova Friburgo, que vai ligar Duas Barras a Mury, numa extensão de 42 quilometros. Desta vez o prazo de conclusão é 2014 e até agora quase nada sabemos sobre o seu traçado.

Aliás, ouvi por aí que a RJ-116 vai ter terceira pista entre Duas Barras e Cordeiro. Alguém sabe se isso é verdade?

oOo

O Governo do Estado vai investir R$ 2,8 bilhões na malha rodoviária fluminense. As obras contemplarão 750 quilômetros de estradas estaduais e serão realizadas até 2014 pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem). Os recursos para esta série de melhorias virão de organismos internacionais e através de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

O Banco Mundial já autorizou o empréstimo de R$ 1 bilhão, a Comissão Andina de Financiamento (CAF) vai financiar R$ 500 milhões e o DER espera levantar mais R$ 1,3 bilhão com as PPPs para realizar obras.

“A maioria das obras está em fase final de elaboração de projetos. Outras estão em andamento, com previsão de inauguração dentro de dois ou três meses, como as pontes sobre o Rio Paraíba do Sul, uma em Quatis, no Sul do estado, e outra em Itaperuna, no Noroeste fluminense”, afirma o presidente do DER, Henrique Ribeiro.

Entre as obras previstas estão a construção de uma ponte sobre o Rio Paraíba do Sul, entre os distritos de Domingos e Barcellos, asfaltamento de 39 quilômetros das RJ-194 e RJ-196 entre a BR-101, em Campos dos Goytacazes, e São Francisco de Itabapoana, a duplicação das estradas Maricá-Saquarema e Rio das Ostras-Macaé, a construção da estrada de contorno de Nova Friburgo, entre Mury e Duas Barras, com extensão de 42 quilômetros, a recuperação da RJ-130 (Teresópolis- Friburgo) e da RJ-134 (Petrópolis- São José do Vale do Rio Preto), mais obras em 22 quilômetros das RJ-178 e RJ-180 entre Quissamã e Dores de Macabu, distrito de Campos, e a restauração, com construção de acostamento, em 27 quilômetros da RJ-192, entre Itaocara, no Noroeste, e São Fidélis, no Norte.

*****

Fonte: Governo do Estado do RJ
Foto: Montanha Cup 2010 (Serrinha do Colonial 61)

Nunca provoque um anarquista

Não blasfeme contra o Deus dos muçulmamos e respeite o dos cristãos e judeus. Não diga que seu time é melhor que o do vizinho e esqueça que pele das pessoas tem cores diferentes da sua. Aceite a opção sexual de seus amigos e não julgue quem você não conhece. Entenda os os erros de quem você gosta e lembre-se dos que você mesmo cometeu. Seja justo, honesto e simplesmente viva e deixe os outros viverem.

E nunca, em hipótese alguma, provoque um anarquista!

ONU em Nova Friburgo

Gostaria muito de saber de onde saiu essa ideia de que se o número de mortos em um desastre natural passar de mil ou cinco mil pessoas, a ONU interviria automaticamente, assumindo o controle da cidade, estado ou país afetado. Ouvi essa afirmação várias vezes ao longo do ano que passou e, inclusive, que o verdadeiro número de mortos em Nova Friburgo teria sido muito maior do que o oficialmente anunciado, exatamente para evitar essa ação.

Já conversei com amigos, pesquisei e a resposta sempre tem sido a mesma: a ONU não atua em nenhum evento deste tipo, com qualquer número de mortos, a não ser que sua ajuda seja solicitada pelos governos interessados. A intervenção unilateral em qualquer país só pode ser decidida pelo Conselho de Segurança, como foi por ocasião da Guerra do Golfo, em 1990 e o apoio militar aos rebeldes que derrubaram o Kadafi, na Líbia, em 2011.

De quebra, aí vão alguns exemplos: o acidente nuclear de Chernobil, na extinta URSS, provocou a evacuação de 200 mil pessoas, a morte estimada de 4 mil e a contaminação de enormes áreas da Ucrânia, Bielorússia e Rússia. O governo soviético escondeu o máximo que pode e só permitiu a entrada da comunidade científica internacional quando perdeu o controle da situação.

No Brasil tivemos, em 1967, a tragédia da Serra das Araras, perto de Paracambi, no Estado do Rio, que resultou na morte de 1.700 pessoas, naquele que é considerado o nosso maior acidente natural. Eu mesmo, como um sobrevivente (estava em um ônibus da Cometa, indo para São Paulo), posso garantir que só vi tropas do exército e bombeiros trabalhando no resgate.

Ano passado o Japão perdeu mais de dez mil cidadãos em um terremoto, seguido de uma tsunami e, como desgraça pouca é bobagem, um sem número de contaminados com o vazamento em reatores nucleares. Em nenhum momento o governo japonês sequer falou em socorro da ONU…

Enfim, continuo com a dúvida. Se existe mesmo essa regra, por que não foi aplicada no Sudão, país africano onde já foram massacradas mais de dois milhões de pessoas por razões puramente étnicas? E onde estão os capacetes azuis para impedir mais mortes na Síria, por exemplo, onde já perderam a vida mais de cinco mil pessoas?

Sei não, será que essa história não é mais uma lenda urbana? Cartas para o Blog!

O causo do Padre Rômulo

Folclore gaúcho

Não é que havia um padre lá no Alegrete chamado Rômulo, cheio de virtudes, bom sujeito mas tinha uma coisa, não gostava de castelhanos. Não gostava não, tinha pavor! Para ele, filho de índio rústico com tradições guerreiras contra os países do Prata, tudo que era de ruim vinha lá do outro lado da fronteira.

Tanto andou, criou e mexeu, que um dia o Arcebispo perdeu a paciência e mandou chamar o homem:

— Padre Rômulo, agora chega! O senhor tem que acabar com essa mania de botar defeito em castelhano.

— Senhor Arcebispo, eu não preciso botar defeito nos castelhanos, eles já tem todos

— Não vou repreendê-lo, padre, mas o senhor vai ser o vigário de Uruguaiana, para aprender que castelhano também é filho de Deus e em consequência, seu irmão.

— Filho de Deus…. só que seja filho da…

— Padre Rômulo!!!!!

E assim, o padre Rômulo foi servir em Uruguaiana, que à época vivia cheia de castelhanos, tudo fazendo compras. No primeiro sermão que proferiu, com a igreja cheia de argentinos e uruguaios, o padre já começou com chute de matar pato:

— Caríssimos irmãos. O sermão de hoje é sobre uma correntina safada chamada Maria Madalena, filha de soldado, que andou passando na cara tudo que era centurião romano.

No outro domingo iniciou o sermão:

— Conta a Bíblia que um castelhano chamado Caim certa feita, por qualquer bobagem, deu uma pedrada na cabeça do pobrezinho do seu irmão Abel….

E tome paulada em cima. Para o padre, os filisteus eram todos correntinos da pior espécie e os fariseus hipócritas era os castelhanos da época. Cristo, certa feita, passara o laço nos castelhanos lasqueados que andaram bolichando no templo.

Até que um dia o Delegado mandou chamar o padre Rômulo à delegacia de polícia:

— Olha, Padre Rômulo, não aguento mais tanta queixa sobre o senhor. Os argentinos e uruguaios querem que eu lhe prenda. Os comerciantes, que estão perdendo os clientes, já me procuraram.

— Me procuraram também, mas eu mandei que eles fossem se queixar para o Bispo.

— Pois é, mas eu sou filho de um argentino e de uma brasileira e também perdi a paciência com o senhor.

— Delegado, o senhor manda na delegacia e eu mando na minha Igreja.

— Pois bem, se no domingo que vem, o senhor disser que fulano ou sicrano era correntino ou castelhano, o senhor sai preso do púlpito. E vou estar no primeiro banco.

Padre Rômulo deu as costas furioso e foi embora, batendo as portas. No domingo, pela manhã, dito e feito: lá estava o Delegado, sério e brabo, com o volume do revólver e das algemas aparecendo por baixo do casaco. Sentou na primeira fila, olhou o padre e deu umas palmadinhas significativas na cintura.

O Padre entendeu direitinho a ameaça, pigarreou e atacou o sermão, em pleno Domingo de Páscoa:

— Caríssimos Irmãos. Sentindo chegar a hora, Cristo reuniu os Apóstolos para uma última ceia. Lá pelas tantas disse: um de vocês vai me trair.

O Delegado deu um pulo no banco. Abriu o casaco e olhou feio para o Padre, que viu bem tudo mas continuou fingindo que não tinha visto nada.

— Pedro então disse: serei eu, Senhor ? Cristo balançou a cabeça. Thiago então perguntou: serei eu, Senhor ? E Cristo balançou a cabeça outra vez.   E Judas então perguntou: Señor, ¿acaso seré yo?

 

Para quem preferir ouvir a narrativa, contada pelos Os Fagundes, gauchada legítima e de ótimo humor, basta clicar no player logo abaixo. Ah sim, correntinos e correntinas são cidadãos de Corrientes, cidade argentina da fronteira.

Onde estão as passeatas?

Eva Tudor, Tonia Carrero, Eva Wilma, Leila Diniz, Odete Lara e Norma Benguel abrem uma passeata contra a censura, no longínquo ano de 1968. A foto é do Ziraldo.

Cenas como essa existem aos montes na internet, mostrando comícios, piquetes, brigas com a polícia, enfim, manifestações populares em uma época que era preciso ter muito cuidado e pensar o mais silenciosamente possível.

Hoje, mais de quarenta anos depois, podemos nos reunir à vontade e temos, inclusive, leis garantindo nosso direito de protestar. Ao contrário daqueles anos perdidos, pensar é um bem sagrado.

E no entanto nos calamos, vergonhosamente, diante de todos os desmandos que afligem nosso dia a dia. Um menino é brutalizado nas ruas do Rio e temos que ouvir dois presidentes, o da República e o do STF declarar que o “mal está feito”, “não podemos agir ao calor das emoções”! Uma menina de 13 anos leva uma bala perdida na coluna, que vai lhe deixar sequelas para o resto da vida. Três franceses são torturados e trucidados por orientação de um ex-menor de rua, que foi por eles abrigado por mais de 10 anos.

É a completa banalização da vida humana!

Políticos mensaleiros, sanguessugas, indiciados pela justiça, corruptos e canalhas de todos os matizes que não tem pudor de subir à tribuna daquela que deveria ser a Casa do Povo, para nos envergonhar com a sua impunidade. Fico espantado, poruqe era jovem em 1968 e acreditava que aquelas mobilizações, algumas ingênuas até, poderiam nos conduzir a um futuro melhor.

Que engano… Conseguimos a liberdade e não nos mobilizamos mais, não reclamamos, não nos indignamos. Aceitamos passivamente todo o tipo de barbaridades e nos conformamos em ser meros espectadores, cúmplices de facínoras assassinos e corruptos contumazes. E o mais triste, esperando a nossa vez de ir para o abatedouro…

Não precisamos nem queremos mais líderes ou políticos pra nos conduzir, isso é bobagem, já bastam os que estão no Congresso. Enquanto ficarmos quietos, esses bandidos continuarão com suas quadrilhas e muitos satisfeitos com o povo brasileiro. Para iniciar uma manifestação, basta uma fila inicial de 4 ou 5 pessoas com os braços dados e não ter medo de gritar nossa revolta.

Afinal, por para ter esse Brasil que tanta gente deu a vida?

*****

Esta crônica foi publicada no meu antigo Blog do Cejunior, no começo do ano de 2007. Estou trazendo para cá porque, guardadas as proporções, o friburguense continua anestesiado com a tragédia ambiental que destruiu nossa cidade e não tem mostrado nenhuma reação ao pouco caso com que a cidade está sendo tratada.

Cinco meses já se passaram e nada foi feito, a não ser muito blá-blá-blá, visitas de autoridades prá cá e prá lá, discursos e reuniões inócuas. Enquanto isso, assistimos o loteamento político da cidade e torcemos para que as chuvas do verão de 2012 não sejam tão fortes.

Lamentável.

Alérgicos e cães vivendo juntos

Carlos Emerson Jr.
Filo

Você é asmático ou alérgico (ou pior, as duas coisas juntas) e tem cachorro? Então não deixe de ler o artigo a seguir que eu trouxe lá do Blog da Alergia, com boas novas para quem ama os peludos!

“Há muita controvérsia neste tema e não é nossa intenção ditar regras. Nem toda pessoa que tem asma ou rinite tem também alergia aos cães. Cada caso é um caso e cada pessoa é única, sendo impossível emitir um parecer que sirva igualmente para todos.

Este tema surgiu a partir de um estudo publicado na Revista de Pediatria em Outubro de 2010, mostrando que ter um cão em casa diminui o risco de as crianças com antecedentes familiares de alergias desenvolverem eczema. O mesmo não se verifica se o animal de estimação for um gato. Neste caso, os riscos aumentam significativamente. O estudo foi realizado na Universidade de Cincinnati e publicado no Journal of Pediatrics.

A polêmica já havia se instalado a partir da teoria da higiene, que teve seu auge na década passada, defendendo a tese de que o aumento da prevalência da alergia nos últimos anos pode ser atribuído ao excesso de higiene no mundo moderno, incluindo o menor contato de crianças e adultos com animais e com a natureza.

Então, vamos aos fatos:

1) Pontos a favor para a presença de um cão em sua casa

– Algumas raças de cães são excelentes companhias para crianças e adultos (em especial idosos).
– Cães necessitam sair pelo menos duas vezes ao dia, estimulando assim a vida ao ar livre e as caminhadas.
– Donos de cães tendem a interagir, ou seja, a presença do cão pode contribuir para combater a timidez e melhorar o contato social.
– Cães têm a capacidade de amar, o que pode ser uma grande aquisição tanto para crianças como para adultos.

2) Desvantagens de ter um cão:

– Cerca de 30% de portadores de asma e rinite alérgica podem ter crises desencadeadas pelo contato com cães.
– A presença do animal de estimação pode contribuir para aumento de ácaros na residência, já que seu alimento preferido é a descamação da pele, além das partículas que podem se tornar alergênicas (ou seja, provocadoras de alergia).
– Algumas pessoas são alérgicas ao pelo dos cães e pioram sua alergia ao contato com o animal.

3) E o que fazer se você já tem um cão?

– Se você mora em uma casa, acostume seu cão a ficar fora de casa. Num apartamento, é possível treinar o animal para que circule preferentemente fora da área social. Uma opção é colocar uma porta (vendida em lojas pet) para limitar seu acesso.
– Não deixe que o cão suba em estofados e camas. Escolha uma cadeira que seja liberada para o cão e ensine a ele
– Não permita que o cão suba e durma em sua cama.
– Arejar a casa e intensificar os cuidados com a limpeza da casa: limpe diariamente com pano úmido, evitando vassouras e espanadores.
– Retire tapetes, carpetes, objetos que acumulem pó para facilitar a limpeza.
– Escove o animal periodicamente, mas tenha o cuidado de fazê-lo fora de casa. O cão deve ser banhado semanalmente.”

A autora deste texte é asmática e alérgica (que azar) e, seguindo as regrinhas aí de cima, convive muitíssimo bem com a nossa querida Maria Filomena, vulgo Filó, para os mais íntimos.

Um bom domingo para todos!

Texto: Blog da Alergia
Foto: Carlos Emerson Junior
Modelo: Maria Filomena (Filó)

Uma entrevista

Aí estão os vídeos com minha participação no programa Conexão Luau, da Luau TV Nova Friburgo, conduzido com muita simpatia e eficiência pela Luzêni Neres, gentilmente disponibilizados pela emissora. Conversamos durante uma hora sobre blogs, redes sociais e como essas ferramentas foram úteis para Nova Friburgo, no desastre ambiental de janeiro passado.

Primeira parte:

Segunda parte:

Terceira parte:

Eu tenho um Kindle

kindle
.
Por Fatima Emerson

Gosto da tecnologia e das novidades informáticas, mas tenho muita dificuldade em aderir a novos “ gadgets” . De longe eu já tinha uma certa simpatia pelo Kindle pois gosto de ler e como sou alérgica nunca fui estimulada a ter muitos livros em casa. Antigamente era adepta das bibliotecas, mas com a vida moderna ficou difícil achar tempo para este gostinho.

Logo que soube do lançamento de um leitor de livros, a possibilidade de guardar milhares de livros sem poeira me atraiu. E… ganhei um Kindle!

De cara, gostei do seu visual, da tela, do tamanho, do peso. E hoje, após meses de uso, faço um balanço:

Vantagens

– Sem dúvida, o formato que aliado ao peso tornam confortável a leitura.
– A cor da tela e a ausência do brilho tornam a leitura agradável, sem cansar a visão.
– A facilidade do uso: aprendi logo a manejar, o que não é meu feitio. È bem simples, deixando os menos aficionados como eu bem à vontade.
– A bateria é duradoura, sendo facilmente carregada na entrada USB do computador.
– Ler o jornal bem cedinho, em especial nos domingos e dias de preguiça.
– Transformei os meus livros em PDF para permitir a leitura no Kindle. Tá, não são muitos, mas são filhos amorosos que tenho.

Desvantagens:

– Senti falta de um estojo para proteger o aparelho, com espaço para guardar junto o cabo do carregador da bateria.
– A monocromia. Figuras, desenhos e fotos ficam bem prejudicadas.
– Ficar preso à Amazon e seus títulos.
– Poucos livros interessantes em português – pelo menos para quem não aprecia Paulo Coelho, como eu.
– Livros técnicos antigos: Senti falta de títulos mais recentes. Bem, confesso que tenho dúvidas se esta é uma deficiência do Kindle ou minha, com a minha reconhecida dificuldade em navegar em mares virtuais.

No frigir dos ovos, passada a novidade inicial, continuo apreciando o meu Kindle. Vislumbro uma amizade duradoura, entremeada por momentos muito agradáveis de leitura e relaxamento.

Descaso com animais usados para passeios em Nova Friburgo provoca onda de protestos na internet

Simone Candida (O Globo)

RIO – Num cenário que ainda é de reconstrução – com muita poeira, buracos e pouquíssimos turistas – os cavalos e jumentos que tradicionalmente eram usados para passeios no entorno da Praça do Suspiro, em Nova Friburgo, voltaram ao trabalho. No entanto, a cena dos animais expostos ao sol forte, diante de um bebedouro quebrado e cercados de escombros, anda causando revolta em alguns moradores e visitantes. Sensibilizado, o administrador de empresas friburguense Carlos Emerson Junior, de 60 anos, fotografou no último domingo um grupo de sete cavalos parados na pracinha e postou a imagem em seu blog. A foto foi compartilhada por amigos e protetores de animais no Facebook, causando uma onda de protestos na rede social.

– Estive lá e não gostei nada do que vi. O local onde os animais deveriam ter água corrente, ainda está semidestruído e com apenas um restinho de água suja da chuva. Isso é uma maldade. O trenzinho que levava os turistas para passear ainda não voltou, mas os animais foram obrigados a ficar lá. Para piorar, fui informado que a Coordenadoria do Bem Estar Animal, a quem eu poderia denunciar o que vi, não abre nos finais de semana. Ou seja: se você vê um caso assim tem que esperar até segunda-feira para denunciar – diz Carlos Emerson, que, diante da impossibilidade de achar um fiscal da prefeitura, decidiu fazer a denúncia em seu blog .

Procurada pelo GLOBO, a responsável pela Coordenadoria de Bem Estar Animal de Nova Friburgo (Coobea), Carla Freire, informou que, apesar de achar que ainda não era hora de os bichos voltarem, a prefeitura não pode impedir os proprietários de levarem os burricos e cavalinhos de volta ao ponto turístico. Mas, diante do grande número de reclamações, ela promete ir até lá no próximo final de semana para verificar as denúncias. Nova Friburgo foi a cidade da região serrana mais devastada pelas enxurradas ocorridas em janeiro.

Proprietária de um apartamento no Centro de Friburgo, a comerciante Ana Martha de Lima, de 45 anos, conta que esteve lá na semana passada e também ficou com muita dó dos cavalos:

– Eu costumo passar finais de semana lá e sempre me compadeci deles. Mas agora é ainda pior. É um absurdo. Não tinha nem turista na praça. Para que deixar aqueles animais lá, sofrendo com aquele sol ? – protestou.

A coordenadora da Coobea, Carla Freire admite que o órgão só faz atendimento ao público de segunda a sexta-feira, 11h30m às 17h30m, mas argumenta que todos na cidade conhecem seu telefone celular. O telefone do órgão é (22): 2522-1356. No finais de semana, a coordenadora atende no celular: 22- 9931-3313.

– Eu estive lá na semana anterior e não tinha visto isso. Mas vamos voltar lá e conversar com os donos dos cavalos.Temos consciência de que um cavalo precisa de beber no mínimo 40 litros de água por dia e, pelo que me falaram, eles estão sem água – comentou.

De acordo com Carla Freire, a situação precária dos animais de tração da Praça do Suspiro é uma preocupação da prefeitura, que em janeiro ia iniciar o cadastramento de todos os bichos e proprietários que fazem ponto na praça. A tragédia das enchentes, no entanto, justifica Carla Freire, atrasou o trabalho, que deve ser iniciado em breve. Ela promete fazer um levantamento dos animais e criar regras para o trabalho.

Em Paquetá, 40 cavalos utilizados em carroças de passeios vão receber chips de identificação. O objetivo é reduzir a taxa de abandono dos animais e responsabilizar os donos em caso de maus-tratos.

Publicada nos jornais O Globo e Extra, Rio de Janeiro, em 24 de março de 2011.

Foto: Carlos Emerson Jr.

Vamos aumentar as visitas do seu blog!

problogger_visitas (1)

Aliás, o titulo correto deveria ser “como copiar/colar e fazer sucesso com seu blog”.  Afinal, o texto a seguir foi publicado no extinto (coisa de dinossauros…) Focus Mode mas, como esse assunto é muito importante para a blogosfera e meus novos leitores aqui da serra ainda não tiveram a oportunidade de ver tanta bobagem junta, vale a “importação” do texto desaparecido para cá.

Afinal, pode ser que, de repente, a coisa dá certo!

 

“Você está desanimado com seu blog ? Colocou anúncios e não tem nenhum retorno ? Dá um duro danado bolando os assuntos e os comentários continuam no zero ?

Pois de agora em diante, seus problemas acabaram. O Focus Mode tem o orgulho de apresentar o seu kit "SEO Junior", indicado para todos aqueles que sonham em viver nababescamente de seus blogs, sem patrões, horários e gravatas. Ah sim, é claro, de preferência numa ilha parasidíaca da Polinésia, cercado de nativas carentes e fogosas!

Elaborado com as mais modernas técnicas de SEO, SEM, SIM, SAO e SOM, o nosso kit, exaustivamente testado e aprovado pelos principais nomes da blogosfera internacional, pode fazer muito pelo seu site. Os resultados serão visíveis imediatamente. Aliás, podemos adiantar em primeira mão que todos os futuro blogs e tvs estatais foram montados  seguindo nossas recomendações.

Aproveite a oportunidade. Para cada kit adquirido, você leva de brinde, na hora, sem sorteio, um chaveirinho do SEO Junior, que servirá como lembrete de sua arrancada do nada para a vitória final!

Não deixe para amanhã, fale conosco hoje mesmo pelo email seojunior@seosucesso.com. Ficaremos muito honrados com sua consulta.

Seja um problogger você também. Yes, you can!”

 

 

Charge: Alexandre Affonso (Nadaver.com)

Texto: Cejunior (Focus Mode)