Por favor, não soltem fogos

Thomas Lloyd Busterbrown

Vou pedir um grande favor: neste final de ano, não solte fogos. Muito obrigado. Aqui em Nova Friburgo a Lei Municipal 4561/17 proíbe todos os que causam poluição sonora em locais fechados e ambientes abertos, em áreas públicas e locais privados. Já o decreto 329, de 3 de dezembro de 2018, bane a queima e o manejo de fogos de artifícios e pirotécnicos que façam barulho.

Foi a resposta da Câmara de Vereadores e da Prefeitura à pressão da nossa população contrária ao uso desses artefatos. Animais domésticos e silvestres, bebês e crianças pequenas, idosos, autistas, pessoas doentes ou com necessidades especiais sofrem. E não é só, tem quem saia queimado, atingido por esses verdadeiros mísseis, incêndios são provocados, ainda mais em nossa cidade, cercada de Mata Atlântica por todos os lados. E mais, a fumaça desprendida do uso dos fogos é tóxica, podendo desencadear crises em asmáticos, por exemplo, além de encher o ar de produtos cancerígenos como enxofre e arsênico, entre outros.

Segundo o jornal A Voz da Serra, a Prefeitura de Nova Friburgo vai colocar guardas municipais e agentes da secretaria de Posturas na passagem de ano, para aplicar a lei e enquadrar os recalcitrantes. Aliás, pede também a colaboração da população fotografando ou filmando quem estiver cometendo esse desumano ilícito: basta se dirigir à Ouvidoria Municipal, no Centro.

É isso, queridos amigos. Os fogos ainda resistem por causa de megacidades, como o Rio de Janeiro e São Paulo, que gastam fortunas em pólvora e incentivam o seu uso indiscriminadamente. Lembrem-se a data é de alegria e muita festa, mas também de solidariedade, empatia e cuidado com o próximo, seja ele um recém-nascido, um autista, idoso, cachorro ou gato. Afinal, como bem disse o Papa Francisco, “a compaixão também é a linguagem de Deus.”

Por favor, não soltem fogos.