Cisne Branco

Tem um veleiro ao longe, bem perto da Ponte… Deve ser o Cisne Branco, só pode. Ou será uma miragem? Não, miragens não podem ser fotografadas, a questão aqui nem é essa, minha dúvida é se o veleiro é o Cisne Branco ou um outro parecido, vindo de algum país do outro lado deste Atlântico tão cheio de histórias.

A manhã está enevoada, a poluição dificulta a visão e a distância é enorme mas, palavra de quem já pilotou um veleiro nesta Baia da Guanabara, é o barco mais bonito de todas as marinhas do mundo. E o melhor, não tem canhões, encanta por suas velas, ensina a navegar e sua missão é levar a paz.

Pois é, tem um Cisne Branco bem perto da Ponte…

Retas cortadas

 

Nas aulas de geometria aprendemos que as paralelas só se encontram no infinito e tem até que prove isso com equações matemáticas. Aí, um belo dia, adulto já, dou de cara com essas retas cortadas e, pior, desalinhadas. Coitadas, essa aí nunca alcançarão o seu infinito, seja lá onde ele estiver. Ou será aí mesmo, na Avenida Niemeyer, em São Conrado, numa obra de uma ciclovia carioca?

Sei não, o mundo anda muito estranho…