As cidades exterminadas

Foto: Carlos Emerson Jr.

Uma observação para os “jornalistas profissionais” e “colunistas especializados” do Globo: desde ontem, o jornalão carioca e o Portal G1 noticiam continuamente que o governo federal vai extinguir mais de 1.000 cidades que não preencham requisitos mínimos financeiros, densidade populacional e por aí vai. Aliás, a foto do post foi feita com uma matéria da edição impressa de hoje, dia 6 de novembro, na página 20.

O site Brasil Escola, explica de maneira didática e simples a diferença entre município e cidade:

Por cidade, entende-se o espaço urbano de um município delimitado por um perímetro urbano. Para ser considerada cidade, é preciso ter um número mínimo de habitantes e uma infraestrutura que atenda minimamente as condições dessa população, mesmo que essa cidade seja dependente de outras que se localizem próximas a ela.”

Por município, entende-se o espaço territorial político dentro de um estado ou unidade federativa, é o espaço administrado por uma prefeitura. O município possui a sua zona rural e a zona urbanizada. Um mesmo município pode ter várias cidades, também chamadas de distritos, de forma que o nome do município será o mesmo da cidade principal ou do distrito sede, e é nesse distrito que se encontra a administração ou prefeitura.”

Extinguir 1.254 cidades só com armas nucleares, bombardeios aéreos de saturação, barragens de artilharia, mega operações de engenharia de demolição e por aí vai. E ainda nem falei dos refugiados. Onde vamos abrigar os dois, três, quatro mil moradores das cidades “exterminadas”? No Projac? Pois é. E aí vem o diretor de jornalismo do Globo garantir que eles são sérios. Estou morrendo de rir.